Adaptação modular do Museu de Arte de Hong Kong

Uma fachada modular espetacular de geometria vibrante para o Museu de Arte de Hong Kong

Arquiteto: Vivien Fung

EQUITONE [tectiva] revitalizou o Museu de Arte de Hong Kong com uma nova fachada. A fachada faz parte de uma remodelação realizada durante quatro anos pelo Departamento de Serviços de Arquitetura de Hong Kong. O plano foi aumentar em grande escala o espaço de exposição do museu em 40%, acrescentando 10.000 metros quadrados para acomodar cinco novas galerias. Usando a gama tectiva da EQUITONE, a nova fachada incorpora painéis de fibrocimento em tom cinza para formar um design tridimensional contemporâneo construído com módulos pré-fabricados. Os painéis EQUITONE são montados em diferentes orientações, colocados verticalmente, espaçados e paralelos à construção abaixo em betão, dando à fachada um efeito geométrico ondulado único. A fachada resultante transmite uma impressão de profundidade e fornece uma textura tangível e vibrante que ecoa os padrões da alvenaria chinesa e as ondas do Porto Victoria, localizado em frente à fachada principal do iconico museu.

Projeto de fachada 3D com mínimo desperdício

De acordo com Bobby O'Neill, Diretor Técnico global da EQUITONE, que supervisiona o projeto seguindo o conceito do arquiteto, cada módulo 3D foi projetado para ser cortado de um painel, resultando o mínimo desperdício de material.

Cada módulo consistia em cinco peças separadas com cortes angulares de modo que, quando encaixadas, resultassem num módulo 3D. Uma moldura de alumínio foi feita para suportar o módulo. Deste modo a montagem do módulo mais rápida. A moldura manteve os painéis seguros durante o transporte e fixação. Os módulos pré-fabricados foram fixados à estrutura de suporte de betão armado e alternados entre si. Cada módulo cria juntas de sombra, que chamam a atenção pelo seu desenho geométrico bem definido.

Apoio técnico de ponta

EQUITONE apoiou de perto os arquitetos e empreiteiros, fornecendo conhecimentos técnicos para garantir que a visão impressionante e original do Museu se concretizasse.

Os módulos foram concebidos na oficina e entregues no museu, reduzindo o tempo necessário para montar a fachada numa área pública muito movimentada e com grande fluxo de pessoas. Para facilitar a manutenção, os painéis EQUITONE [tectiva] também podem ser desmontados individualmente facilitando qualquer futuro trabalho.

A ampliação e renovação da fachada fazem parte de um plano diretor superior para desobstruir a envolvente do Museu. A Praça das Artes no Jardin Salisbury, inaugurada em 2014, para antecipar as reformas e ampliações do museu, permite pela primeira vez na sua história, apresentar instalações específicas de grande escala na praça. Foram reorganizadas as implantações de árvores e canteiros para permitir instalar esculturas ao ar livre, já que a inserção de fachadas de vidro moldado elimina barreiras adicionais entre os espaços de exposição interiores e exteriores.

A remodelação da fachada EQUITONE visa criar uma nova experiência para os visitantes atuais e futuros, onde o espaço se expande e se comprime através da intersecção da luz e das sombras expressas ao longo da fachada.

Bobby O'Neill comenta que: "Trabalhar em estreita colaboração com a equipa de design interno permitiu-nos obter uma melhor compreensão das nossas competências técnicas para fornecer soluções únicas para o design de fachadas. A combinação de robustez e ligeireza dos revestimentos modulares provou ser ideal para prolongar a vida do edifício, dando-lhe um novo rosto ao mundo mas preservando a sua estrutura original. O Museu de Arte de Hong Kong é um testemunho contemporâneo da crescente procura de construção modular - a necessidade de reformar e renovar os edifícios existentes está a aumentar e a EQUITONE tem uma vasta experiência e capacidade técnica para fornecer uma solução para esta necessidade da indústria."

📷 Daniel Wong